"É muito difícil…                                       

                                 Saber!!!"

 É muito difícil saber se a porta que mais abre para um lar, e que aquece e ilumina, é aquela de vidro ou aquela de madeira. . .

É muito difícil reconhecer por onde passa mais a luz: se de uma porta escancarada ou de uma porta apenas entreaberta e que filtra a pureza de um raio. . .

É muito difícil compreender se há mais luz na vida daquela casa se sua porta é de jacarandá, dando para um muro alto, ou a de caixotes, dando para a casa do outro, a rua comum, o horizonte de todos. . .

Não é difícil saber. O que o dá sentido, na realidade, é o mínimo gesto de luz, a greta que filtra um raio, o buraco que peneira esperança, calor e luz… o Coração de quem habita nesta ou naquela casa.

O Coração não se ofusca com a quantidade de luz. Quem não se deixa mostrar-se, o mínimo que seja, através da uma fina fresta aberta na porta do Coração?

ü O que nos faz ver mais claro pelas frestas do Coração é a Oração, que nos ilumina por dentro e nos irradia para fora.

ü A Oração não precisa se explicar para mandar algum recado para Deus.

Não é muito fácil, sobretudo no silêncio, imaginar quem se comunica mais profundamente com Deus e irradia mais luz, através da Oração: se os Corações das pessoas que vivem nas choupanas de portas esburacadas, porém, onde existe a simplicidade do amor e da pobreza, ou os Corações das pessoas que vivem nas mansões de portas de vidro, onde se deixam ofuscar seus Corações pela fome do ter, do ter mais, do ganhar, do ganhar mais, do guardar, do guardar mais para si mesmo.

O silêncio é próprio e fecundo para a Oração. Porque, normalmente, é no silêncio que o Coração se veste de mais silêncio, de mais despojamento, de menos ativismo.

É impressionante ouvir ou ler, alguém que não é padre, nem bispo, nem religioso, nem papa, dizer sobre a Oração.

Assim nos fala Mahatma Gandhi: ( M. Gandhi, assassinado em 1948 )

“Sem oração não pode haver consciência da própria fraqueza.

A oração é a chave que abre a porta da manhã e fecha a da noite.

Só de Deus, por meio da oração, vem toda a nossa força.

Rezar não é pedir. Rezar é a respiração da alma. Encontrei gente que inveja a minha paz. Esta paz vem-me da oração. Não sou um homem de cultura, mas penso, humildemente, ser um homem de oração.

A oração salvou-me a vida. Sem ela eu estaria louco há muito tempo.

Se eu consegui libertar-me do desespero foi graças à oração.

A oração não foi parte da minha vida como o foi a verdade; a oração desabrochou simplesmente da necessidade, quando me encontrava em situações nas quais não poderia absolutamente ser feliz sem ela.

Com o passar do tempo a minha fé em Deus aumentou, e o desejo de rezar tornou-se mais irresistível.

A comida não é tão indispensável ao corpo como a oração à alma, pois o jejum é por vezes necessário para conservar a saúde do corpo, enquanto que o jejum da oração não existe.

Para viver no meio dos homens é necessária uma força eficaz, absoluta: a oração. Rezar é estar com Deus”. 

PALAVRA DE VIDA
Fabiano Câmara Bensi – abril, ano 2001
Paróquia São José Operário - Mambucaba
Angra dos Reis - Diocese de Itaguaí