Veja como para participar. Clique aqui!

OS ARTIGOS AQUI PUBLICADOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DO AUTOR

Última revisão: 21 de março, ano 2007

    MARIA  ADVOGADA E MEDIANEIRA 

          Estamos em maio, mês dedicado a nossa Mãe e Senhora.

         Maria, uma mocinha simples e piedosa, perdida numa aldeia insignificante da Judéia, sujeita como nós a dores e doenças, alegrias e tristeza, foi escolhida, dentre tantas mulheres de tantas gerações para ser a Mãe do próprio Deus.

         Viveu na simplicidade, em Nazaré, colaborando com o esposo José nos afazeres da casa e cuidando de seu filho Jesus, na sua infância e adolescência. E quando ele iniciou seus anos de pregação pela Palestina, nunca deixou de acompanhá-lo de longe, mas sempre presente.

         Até no derradeiro minuto de sua morte lá estava ela, aos pés da cruz, dizendo palavras de carinho a seu filho moribundo. Aquele filho lindo cujo semblante, naquele momento de dor, era pior do que o de um verme da terra, abandonado por todos e até por seus amigos.

          Deus deu, porém, a Maria, o prêmio de sua fidelidade. Após sua morte, não quis ficar só com sua alma no Paraíso. Trouxe para junto d’Ele, no céu, também o seu corpo resplandecente para gozar das alegrias celestiais.

"Pede à Mãe, que o Filho atende!". É esse o tema dessa mensagem.

         Imagine a seguinte situação: você, tentando chegar perto de uma autoridade para lhe pedir um favor, mas tendo fracassado em todas as tentativas de se aproximar dela.

Pense, agora, se você conseguisse chegar à mãe dessa pessoa e ela se dispusesse a ser uma medianeira entre vocês dois. Se ela tomasse sob sua proteção a sua causa e se tornasse sua intercessora perante seu filho. Tenho certeza que o seu pedido seria aceito, por força da obediência e do afeto que essa autoridade tem para com sua própria mãe. Jamais recusaria em atendê-la, não acha?

         E nós, cristãos, ainda não nos demos conta de que temos lá no céu, junto de Jesus, uma Intercessora, uma Advogada, uma Ponte que nos une a Ele!

         Não rezamos, na oração  "Salve Rainha", essas palavras: "Eia, pois, Advogada nossa! Esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei?".

Pois bem. Não é verdade que, quando contratamos um advogado, é porque estamos em apuros ou numa situação difícil de nossa vida?

         Pois ela está lá, nossa advogada diante do trono de Deus, defendendo-nos. Está lá dizendo-lhe que nossos pecados podem ser minimizados pela sua Bondade e que nossa vontade de nos levantar supera todas as nossas quedas. Está lá clamando a Jesus: “Filho, atenda as orações e pedidos, por mais impossíveis que sejam, dessas pessoas que são meus filhos da terra!”

         Nas Bodas de Caná, quando só Maria ficou sabendo que o vinho havia se acabado, ela foi lá, pediu, chegou até a importunar seu Jesus para que ele fizesse alguma coisa. Ela sabia que ele jamais poderia negar, pois era um pedido seu, um pedido de mãe! E conseguiu que fizesse o que parecia impossível: das jarras de água brotou vinho extremamente saboroso.

         O próprio Cristo pede para que rezemos muito; que façamos, insistentemente, nossos pedidos; que batamos, sem cessar, à porta. Que sejamos insistentes, persistentes, até inoportunos. Ele sempre nos vai atender, desde que o que pedimos seja conforme os critérios seus e não nossos.

         E se Ele já se dispõe a atender-nos, já pensaram tendo Maria como nossa Advogada e Intercessora perante seu trono? Ela que nos conhece profundamente pois viveu a nossa natureza humana?

                                                                                                        Osvaldo David Pavan

Texto de:

Osvaldo David Pavan

São Paulo - SP

Religião Católica

Para Imprimir

Arquivo *.doc

Clique aqui!